Melhores Livros de Charles Bukowski

Os livros de Charles Bukowski são do tipo que provocam os leitores e despertam opiniões variadas. Enquanto algumas pessoas amam e elogiam muito, outras parecem não suportar esse tipo de narrativa.

Quando jovem ele não fez muito sucesso, mas agora ele está sendo cada vez mais reconhecido e está cada vez mais presente nas prateleiras das livrarias.

Esse tipo de leitura é bastante peculiar e, você deve estar aberto e se entregar a esses livros para descobrir se eles fazem ou não o seu estilo afinal.

Então vem com a gente descobrir mais sobre o autor e conhecer os melhores títulos.

Melhores Livros de Charles Bukowski para 2021

Você fica tão sozinho às vezes que até faz sentidVocê Fica Tão Sozinho às Vezes que Até Faz SentidoDeixe-se levar por várias emoções com esse livro incrível35% OFFR$ 32,62 na Amazon
O capitão saiu para o almoço e os marinheiros tomaram conta do navioO Capitão Saiu para o Almoço e os Marinheiros Tomaram Conta do NavioUma obra composta por trechos selecionados pelo próprio autor antes da sua morte30% OFFR$ 18,90 na Amazon
Escrever para não enlouquecerEscrever para não EnlouquecerConheça os bastidores da vida de Bukowski segundo ele próprioR$ 44,90 na Amazon
Misto-quenteMisto-QuenteO livro mais comovente de Bukowski30% OFFR$ 28,10 na Amazon
MulheresMulheresO melhor livro de Bukowski escrito na sua fase boêmia19% OFFR$ 36,37 na Amazon
FactótumFactótumUm livro que traz as lutas diárias pela sobrevivência em tempos difíceis35% OFFR$ 18,23 na Amazon
Sobre o amor e outras insanidadesSobre o Amor e Outras InsanidadesMelhor livro de Bukowski sobre o amor29% OFFR$ 31,90 na Amazon
Sobre gatosSobre GatosUm livro sobre a paixão de Bukowski pelos felinos11% OFFR$ 35,70 na Amazon
Notas de um velho safadoNotas de um Velho SafadoHistórias de uma vida marcada pela violência e promiscuidade35% OFFR$ 21,53 na Amazon
Queimando na água, afogando-se na chamaQueimando na Água, Afogando-se na ChamaO sonho americano visto de uma maneira sombria35% OFFR$ 21,50 na Amazon

Quem foi Charles Bukowski?

Henry Charles Bukowski Jr, nasceu na Alemanha em 16 de agosto de 1920, mas foi morar nos Estados Unidos com os seus pais quando ainda era pequeno.

Ele teve uma infância conturbada, passando por problemas graves com o pai que abusava física e psicologicamente dele.

Como formação profissional, ele chegou a iniciar o curso de jornalismo, mas não concluiu devido a problemas sérios de alcoolismo.

Ainda jovem ele ganhou uma máquina de escrever e se apaixonou pela escrita, mas foi justamente isso que o fez ser expulso de casa.

Depois disso, ele precisou assumir diferentes tarefas, trabalhando em vários locais para conseguir se manter.

Mas ele nunca mais deixou de lado o amor que tinha pela escrita e pelos livros de maneira geral. Em 1971 ele lançou o seu primeiro romance e surpreendeu a crítica com a representatividade da obra.

Bukowski se dedicou à escrita biográfica, muitas vezes com toques de obscenidade, mas sem nunca deixar de ser genial.

As temáticas principais envolvem fatos do seu próprio cotidiano, incluindo bebedeiras, relacionamentos ruins, a marginalização e o pessimismo que está sempre presente na sua vida.

Com o tempo as suas obras foram ganhando espaço, sobretudo com as pessoas de caráter mais pessimista.

Após receber o diagnóstico para leucemia, o autor faleceu em 1994 aos 73 anos de idade. Mas os melhores livros de Charles Bukowski permaneceram como contribuição dele para o mundo.

Veja aqui mais detalhes sobre a biografia de Bukowski e a seguir, confira a nossa seleção:

Melhores Livros de Charles Bukowski

Agora que você já conhece um pouco da história de Charles Bukowski, chegou a hora de apresentarmos a nossa seleção com os melhores livros desse autor. Confira:

1. Você Fica Tão Sozinho às Vezes que Até Faz Sentido

Deixe-se levar por várias emoções com esse livro incrível

Você fica tão sozinho às vezes que até faz sentido

  • Capa comum: 312 páginas
  • Editora: L± 1ª edição (28 setembro 2018)

Iniciamos a nossa seleção de livros de Charles Bukowski com uma obra publicada pela primeira vez em 1986, mas que nos dias atuais é tida como inédita no Brasil.

Ao longo dos poemas você vai conhecendo mais sobre quem foi Bukowski, pois ele faz um retrato sobre a sua infância, problemas existenciais, devaneios e até mesmo sobre o seu amor pelos felinos.

Em vários momentos é possível perceber claramente a sua conexão com o fracasso e a sordidez humana.

Prepare-se para passar por vários sentimentos com essa obra incrível. Você vai chorar, rir, ter esperança e ao mesmo tempo aumentar o seu desdém pela humanidade.

2. O Capitão Saiu para o Almoço e os Marinheiros Tomaram Conta do Navio

Obra composta por trechos selecionados pelo próprio autor antes da sua morte

O capitão saiu para o almoço e os marinheiros tomaram conta do navio: 330

  • Livro de bolso: 160 páginas
  • Editora: L± Edição de bolso (29 agosto 2003)

A publicação original nos Estados Unidos ocorreu em 1998, quatro anos após a morte do autor e esse é tido como o último livro dele.

A obra é composta por uma série de trechos do seu próprio diário, escrito entre meados de 1991 até fevereiro de 1993. Ele mesmo fez a seleção das partes antes da sua morte em março de 1994.

Em alguns momentos do livro o leitor vai se deparar com temas de pouca relevância, como o hábito de apostar em corridas de cavalo.

No entanto, a temática principal da obra são as reflexões filosóficas que ele coloca, tanto sobre a vida quanto em relação a natureza e as misérias do ser humano.

3. Escrever para não Enlouquecer

Conheça os bastidores da vida de Charles Bukowski segundo ele próprio

Escrever para não enlouquecer

  • Capa comum: 256 páginas
  • Editora: L± Edição de bolso (11 abril 2019)

Esse é um dos melhores livros de Charles Bukowski, de caráter único, onde o autor expressa as suas opiniões sobre o mundo da literatura e sobre a escrita em geral.

A obra reúne as cartas redigidas e ilustradas por ele entre os anos de 1945 e 1993. Com isso, é possível conhecer detalhadamente a vida do autor e os problemas vividos por ele, como o alcoolismo precoce e a fama quando ele já estava mais maduro.

Essa é uma leitura muito agradável para os fãs do autor, pois ele tem caráter totalmente biográfico e expõe muitas informações sobre a sua vida.

4. Misto-Quente

O livro mais comovente de Charles Bukowski

Misto-quente

  • Capa comum: 288 páginas
  • Editora: L± 1ª edição (21 junho 2018)

Henry Chinaski teve uma infância e juventude bastante sofrida e precisou amadurecer em meio ao caos mundial pós recessão de 1929.

Ele era de família humilde, de origem alemã, sofria com o excesso de espinhas e, ainda teve que crescer sofrendo os abusos do pai autoritário.

Em meio a tudo isso, a mãe demonstrava apenas muita passividade e ignorância em relação aos fatos.

Para piorar ainda mais, ele não tinha relacionamentos amorosos verdadeiros e se via tendo que trabalhar como mão de obra barata para conseguir sobreviver em meio ao caos.

Essa poderia facilmente ser a história de Charles Bukowski (1920-1994). Na verdade é, pois esse livro não passa de um grande truque da autobiografia.

O romance é reconhecido como a obra mais bela e comovente, além de ser realmente um dos melhores livros de Charles Bukowski.

O segredo por trás do seu sucesso está provavelmente na sinceridade e simplicidade com que os fatos são narrados.

Além disso, a busca pela liberdade e verdade é colocada aqui de uma forma magistral, que realmente envolve o leitor.

5. Mulheres

O melhor livro de Charles Bukowski escrito na sua fase boêmia

Mulheres

  • Capa comum: 320 páginas
  • Editora: L± 1ª edição (22 abril 2016)

Ao longo de sua carreira Bukowski teve muitos problemas com bebidas e não conseguiu encontrar um amor verdadeiro.

Com isso, ele ficou conhecido como “velho safado, bêbado, preguiçoso, mulherengo”, além de outras coisas não tão agradáveis.

Ele passou por uma grande fase boêmia e promíscua e, expôs isso nas suas obras. Assim, isso não pode simplesmente ser deixado de lado e, por isso, não se pode deixar de incluir essas obras nessa lista.

Henry “Hank” Chinaski é mais uma vez o protagonista aqui. E nessa narrativa ele estava em jejum sexual há vários anos, sem ter desejo por nenhuma mulher.

Mas então ele passa a conhecer muitos amores. Essas mulheres sofreram com os benefícios e os malefícios de terem conhecido o personagem principal da narrativa.

Ao longo das páginas dessa obra o leitor se depara com vários temas, que incluem festas, muita bebedeira, encontros sexuais e cartas de pretendentes.

Todos esses elementos mostram muito sobre a vida do próprio autor, mas sob a visão de Chinaski.

6. Factótum

Um livro que traz as lutas diárias pela sobrevivência em tempos difíceis

Factótum: 624

  • Capa comum: 176 páginas
  • Editora: L± Edição de bolso (25 junho 2007)

A narrativa se passa nos anos em que ocorria a Segunda Guerra Mundial e, aqui Henry Chinaski foi classificado como “inapto para o serviço militar” e não pode ingressar no exército.

Então, em um momento em que os homens que vão para a guerra são tidos como verdadeiros heróis, Chinaski se vê como grande fracasso.

Ele não tem um emprego fixo, nenhuma profissão e nem perspectivas de conseguir se desenvolver profissionalmente.

Assim ele passa por vários locais do país, trabalhando informalmente fazendo vários bicos, mas sem nunca deixar de lado a escrita.

Perambulando por aí, sem conseguir publicar suas obras Henry Chinaski passa por muitas coisas ruins em sua trajetória.

7. Sobre o Amor e Outras Insanidades

Melhor livro de Charles Bukowski sobre o amor

Sobre o amor

  • Capa comum: 224 páginas
  • Editora: L± 1ª edição (18 maio 2017)

Os livros de Charles Bukowski muitas vezes contemplam temas não tão suaves, afinal, a sua vida foi sempre cheia de dificuldades.

No entanto, esse livro traz um tema pouco explorado: o amor. Aqui esse tema é visto de diversos ângulos, incluindo o amor paterno.

Mas não pegue esse livro buscando por poemas românticos, pois a proposta não é essa. Aqui o amor é explorado sob diversas óticas e o livro está cheio de passagens sinceras, em alguns momentos até grosseiras.

De uma forma ou de outra, esse é um livro composto por belas poesias e que merece um lugar de destaque na sua lista de melhores livros de Charles Bukowski para ler ainda esse ano.

8. Sobre Gatos

Um livro sobre a paixão de Charles Bukowski pelos felinos

Sobre gatos

  • Capa comum: 139 páginas
  • Editora: L± 1ª edição (27 julho 2017)

Charles Bukowski nunca escondeu a sua admiração pelos felinos. Inclusive ele chegou a ter alguns, pois via nos gatos um reflexo da sua própria vida: sabedoria e sobrevivência mesclando-se.

Então, essa coletânea traz à tona essa admiração do autor por essas pequenas criaturas tão belas e enigmáticas.

O livro é muito agradável, chegando a ser até mesmo muito divertido, em que o homem problemático mostra a sua fraqueza diante de animais fofinhos.

Durante os seus últimos anos de vida fica ainda mais evidente esse amor e admiração pelos felinos, que ele tinha como sendo criaturas majestosas, poderosas e sensíveis.

De acordo com ele, o olhar dos felinos é capaz de penetrar nas profundezas da alma dos indivíduos. E por isso, eles possuem a força e a beleza do amor.

Mas se você quiser explorar essa obra, prepare-se para encontrar aqui felinos de uma perspectiva peculiar: como seres exigentes e ferozes.

Muitas vezes os animais são retratados em momentos de caça, onde mordidas e unhadas estão sempre presentes.

Se você gosta de gatos, esse é com certeza um dos melhores livros de Charles Bukowski para você!

9. Notas de um Velho Safado

Histórias de uma vida marcada pela violência e promiscuidade

Notas de um velho safado: 199

  • Capa comum: 272 páginas
  • Editora: L± Edição de bolso (1 agosto 2002)

Charles Bukowski foi chamado para escrever em uma coluna do jornal alternativo Open City no final dos anos de 1970.

As melhores colunas escritas por ele foram então reunidas originando o livro “Notas de um velho safado”.

Mas esse é um livro tomado por ironias, sarcasmo e, muitas vezes você terá a sensação de estar imerso em um mundo maluco. E é justamente esse o intuito das histórias presentes aqui.

Em vários momentos Bukowski consegue utilizar toda a sua sabedoria para dar vida às suas palavras e torná-las altamente violentas.

Ao mesmo tempo o livro tem muitos toques de humor, mas que são colocados como ironia e muito sarcasmo.

Muitos personagens são cínicos e esse é um dos aspectos desse livro que mais atrai os leitores, pois dá um toque altamente humano às histórias.

Assim como em tantas outras obras do autor, aqui o leitor se depara com a violência, bebedeira e vida boêmia escancarados.

Entretanto, não pegue esse livro pensando em encontrar apenas algumas colunas escritas para um jornal alternativo.

Ele é muito mais do que isso: deve ser visto como um livro de filosofia obscura e marginal, escrito por um homem real e problemático, pensando em um público também real.

Então, não tenha medo de se deixar levar por essas colunas, pois elas são sim muito sinceras e escancaram a realidade. Mas ao mesmo tempo guardam toda a genialidade do autor.

10. Queimando na Água, Afogando-se na Chama

O sonho americano visto de uma maneira sombria

Queimando na água, afogando-se na chama: 1211

  • Capa comum: 288 páginas
  • Editora: L± Edição de bolso (11 abril 2016)

Muito se fala sobre o sonho americano, mas poucas pessoas ousaram entrar no lado sombrio dele.

Charles Bukowski se consagrou tratando de forma inteligente e ao mesmo tempo sincera de temas que incluem alcoolismo, boemia, promiscuidade e apostas.

Assim ele se transformou em um dos maiores escritores underground da contemporaneidade. Mas vale a pena dizer que “Queimando na água, afogando-se na chama” é uma obra que já trata dessa temática antes de o autor se consagrar como “velho safado”.

Essa é uma grande coletânea de poemas do período entre os anos de 1955 e 1973 e, escancara o autor como um desconhecido que tentava se encontrar na vida no auge dos seus trinta anos de idade.

Nessa fase ele já dividia seu tempo entre reflexões filosóficas, bebedeiras, mulheres e corridas de cavalo. E então, começou a moldar o seu modo peculiar de escrita, que mais tarde foi classificado como visionário.

Nessa obra ele mostra um lado ainda um pouco idealizador e romântico, mas já mostra a voz áspera, que é sua característica marcante.

Aqui ele já escancara o lado melancólico e sombrio do sonho americano de que tanto se fala ainda hoje.

Por abordar um tema tão controverso por um ponto de vista diferente da maioria dos norte-americanos, essa obra não poderia faltar na nossa seleção dos melhores livros de Charles Bukowski.

Conclusão

Charles Bukowski teve uma história bastante complicada, desde a infância até o fim da sua vida e, isso se refletiu diretamente na sua carreira.

Assim, os livros escritos por ele possuem vários elementos incômodos, como a bebedeira, vida boêmia, desilusões e o fracasso pessoal.

Mas tudo isso é colocado nas páginas das suas obras de maneira genial, levando os leitores por caminhos incríveis, promovendo até mesmo transformações pessoais.

E então, você já escolheu por qual dos livros de Charles Bukowski pretende começar?

Sobre o Autor: Fernanda Campos de Medeiros

Bióloga mestre em biotecnologia e apaixonada pelas ciências médicas. Apesar da formação também ama ler e escrever sobre temas variados e por isso trabalha há mais de dois anos como redatora.

Deixe um comentário